domingo, 2 de maio de 2010

ORAÇÃO



Quisera
A certeza!
O doce prazer de sentir
E ter fé
Caminhar no escuro,
Fechar meus olhos
E saber como chegar...

Quisera
A calma do crente
Sempre conciso
Quase contente
Nunca se reparte
Nunca se ressente...
Não duvida. Não se revolta.
Só a fé se reporta!

Quisera
O temor do crédulo,
Ao castigo inútil, sem razão,
Entregar-me...
Caminhar sem olhar os lados,
Os cantos, os becos, as sombras.
Apenas lamentar e,
Contrito me calar.


Quem dera
Poder me olhar no espelho
A barba aparada
O cabelo arrumado
Uma bomba ao largo
Explodindo milhares,
E eu, tranqüilo,
Meu bigode pentear...

Quem dera
A alegria de cantar
Vestido de esperança
E durante o canto,
Daquelas doces crianças,
Como se fossem bichos
Envoltas em lixo,
Não me lembrar...

Quisera
Um lindo hino
Na boca de um menino
Me enchesse de emoção
E que um prato vazio,
Uma mão estendida,
Não me tirassem o tino!


Quisera
De terno e binóculo
Do alto da minha fé
Olhar o mundo
E ver apenas rebanhos
Ovelhas brancas e ordeiras
E eu, do alto da minha idiotice
Sentir-me pastor e guia
E de dentro de minha
Megalomania
Declarar-me feliz!!!


Manoel Nogueira

2 comentários:

Alan Silva disse...

Belo poema Manoel, indiquei seu blog ao Prêmio Dardos, apenas uma singela homenagem aos bons blogs da internet, que fazemos uns aos outros. O selo está no meu blog.

Abraço
http://pensamentosifragmentos.blogspot.com

Cerberus disse...

Valeu Alan,!!!